top of page

## Judaísmo e a Vida em Comunidade



Por: Dr. Reginaldo Ramos Teodoro


O judaísmo, uma das religiões mais antigas do mundo, é mais do que um conjunto de crenças e práticas religiosas; é uma forma de vida profundamente enraizada na comunidade. A vida judaica é inerentemente comunitária, pois muitas de suas tradições, celebrações e observâncias são realizadas coletivamente. Desde o Shabat semanal até as grandes festas como Pessach e Yom Kipur, a experiência comunitária é central para a identidade judaica.


### A Importância da Comunidade no Judaísmo


A comunidade judaica, frequentemente referida como "kehila" (קהילה) em hebraico, desempenha um papel crucial na vida de seus membros. Ela oferece suporte espiritual, emocional e social. Em muitas comunidades judaicas, existe uma rede de instituições, como sinagogas, escolas, centros comunitários e organizações de caridade, que ajudam a manter a coesão e a solidariedade entre seus membros.


A vida em comunidade no judaísmo é exemplificada pelo conceito de "minyan" (מניין), que é o quórum mínimo de dez adultos necessários para realizar certos serviços religiosos, como a oração comunitária. Este conceito enfatiza a ideia de que certos aspectos da vida religiosa judaica só podem ser plenamente vivenciados em grupo, reforçando a interdependência e a colaboração entre os membros da comunidade .


### A Ética Comunitária no Judaísmo


A ética comunitária é um pilar central no judaísmo. O conceito de "tzedakah" (צדקה), que significa justiça ou caridade, reflete a responsabilidade de cada indivíduo em apoiar os necessitados e contribuir para o bem-estar da comunidade. Esta prática não é apenas um ato de bondade, mas uma obrigação moral que reforça os laços comunitários e promove a justiça social .


Além disso, o princípio de "gemilut chasadim" (גמילות חסדים), que significa atos de bondade, enfatiza a importância de ações altruístas e voluntárias que beneficiem a comunidade. Este valor é essencial para criar uma sociedade baseada na empatia, apoio mútuo e responsabilidade coletiva .


### A Conversão ao Judaísmo


Converter-se ao judaísmo é um compromisso sério e abrangente, que envolve muito mais do que a adoção de um novo conjunto de crenças religiosas. A conversão é um processo profundo que requer a aceitação e a integração na vida comunitária judaica. O processo de conversão, conhecido como "giur" (גיור), inclui um extenso estudo da Torá e das tradições judaicas, a observância das mitsvot (mandamentos) e a participação ativa na vida comunitária .


Os rabinos e os tribunais rabínicos que supervisionam a conversão geralmente enfatizam a importância da integração na comunidade judaica. Eles buscam garantir que os convertidos estejam genuinamente comprometidos não apenas com a religião judaica, mas também com a vida em comunidade. A expectativa é que os convertidos participem ativamente nas sinagogas, celebrem as festividades judaicas e se envolvam com as necessidades e atividades da comunidade .


### Brit Brachá Brasil e a Orientação para Convertidos


A Brit Brachá Brasil, braço brasileiro da Brit Braja Worldwide Jewish Outreach, e seu rabino Jacques Cukierkorn são claros sobre a importância da integração na comunidade judaica para aqueles que se convertem ao judaísmo. A organização enfatiza que a conversão ao judaísmo não deve ser vista como um meio para outros fins, como a obtenção de benefícios materiais ou de cidadania, mas como um compromisso sincero com a fé e a comunidade judaica .


Rabino Jacques Cukierkorn e sua equipe trabalham diligentemente para garantir que os convertidos compreendam a profundidade do compromisso que estão assumindo. Eles promovem uma conversão que vai além do rito formal, incentivando uma vida ativa e participativa dentro da comunidade judaica local. Este compromisso inclui a observância das tradições judaicas, a participação em eventos comunitários e um envolvimento contínuo com a kehila .


### A Ética do Prosélito no Judaísmo


A ética do prosélito, ou seja, do que se pretende convertido ao judaísmo, é fundamental para a integridade do processo de conversão. Aquele que se propõe a se converter deve fazê-lo com sinceridade e honestidade, refletindo um compromisso genuíno com a fé judaica e a comunidade. Este compromisso ético implica em uma dedicação real às práticas e valores judaicos, além de uma vontade de contribuir positivamente para a vida comunitária .


Os convertidos são esperados a aderir aos mesmos padrões éticos que os nascidos judeus, especialmente em relação ao respeito e ao suporte à comunidade. Isto inclui a participação em atividades comunitárias, o respeito às tradições e leis judaicas, e a prática de tzedakah e gemilut chasadim. A ética do prosélito exige uma verdadeira integração e um esforço contínuo para viver de acordo com os princípios judaicos .


### A Conversão e o Aliyah


Uma questão relevante é a da conversão ao judaísmo com a intenção de fazer aliyah (עלייה), que é a imigração para Israel. Embora fazer aliyah seja um direito fundamental para todos os judeus sob a Lei do Retorno de Israel, o processo de conversão deve ser realizado com a intenção sincera de se integrar e contribuir para a comunidade judaica. Convertidos que procuram apenas obter os benefícios da cidadania israelense, sem um compromisso genuíno com a vida comunitária judaica, estão agindo contra o espírito da conversão .


Os tribunais rabínicos e as autoridades responsáveis pela imigração israelense estão atentos a essas questões. Eles exigem provas de que os convertidos estão integrados na vida comunitária judaica e comprometidos com a prática e os valores judaicos. Isto é fundamental para manter a integridade do processo de conversão e garantir que aqueles que se convertem ao judaísmo estejam realmente comprometidos com a comunidade e a fé judaica .


### Conclusão


O judaísmo, em sua essência, é uma religião comunitária. A vida judaica floresce na comunidade, onde os indivíduos encontram apoio, pertencimento e uma expressão coletiva de fé. Converter-se ao judaísmo é, portanto, uma conversão para uma comunidade, uma aceitação plena de um modo de vida que é intrinsecamente comunitário. A Brit Brachá Brasil, com o rabino Jacques Cukierkorn, destaca que aqueles que se convertem ao judaísmo são chamados a se comprometerem de forma autêntica com a vida comunitária judaica, não apenas para benefícios pessoais, como fazer aliyah, mas para viver e perpetuar os valores e tradições judaicas dentro da comunidade .


### Referências Bibliográficas


1. Dosick, Wayne D. *Living Judaism: The Complete Guide to Jewish Belief, Tradition, and Practice*. HarperOne, 1995.

2. Telushkin, Joseph. *Jewish Literacy: The Most Important Things to Know About the Jewish Religion, Its People, and Its History*. William Morrow, 2008.

3. Schimmel, Lawrence. *Conversion to Judaism: A Guidebook*. Jason Aronson Inc., 1990.

4. Freund, Michael. "The Essential Guide to Jewish Prayer and Practices." *Jewish Action*, Orthodox Union, 2015.

5. Cukierkorn, Jacques. *Accessible Judaism: A Concise Guide*. Brit Braja Worldwide Jewish Outreach, 2012.

6. Epstein, Lawrence J. *Converts to Judaism: Stories from Biblical Times to Today*. Rowman & Littlefield Publishers, 2015.

7. Sacks, Jonathan. *A Letter in the Scroll: Understanding Our Jewish Identity and Exploring the Legacy of the World's Oldest Religion*. Free Press, 2001.

8. Eisen, Arnold M. *Rethinking Modern Judaism: Ritual, Commandment, Community*. University of Chicago Press, 1998.

9. Unterman, Alan. *Jews: Their Religious Beliefs and Practices*. Routledge, 1996.

10. Feldman, David M. *Marital Relations, Birth Control, and Abortion in Jewish Law*. Schocken Books, 1974.

11. Meyer, Michael A. *Judaism Within Modernity: Essays on Jewish History and Religion*. Wayne State University Press, 2001.

12. Dorff, Elliot N., and Rosett, Arthur. *A Living Tree: The Roots and Growth of Jewish Law*. State University of New York Press, 1988.

13. Kaplan, Aryeh. *Made in Heaven: A Jewish Wedding Guide*. Moznaim Publishing Corporation, 1983.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page